COMO VENDER EM QUALQUER SITUAÇÃO? NÃO FAZENDO DO “SIM” O SEU OBJECTIVO!

Existem imensas teorias sobre qual o momento certo para fazer perguntas sobre algo que queremos.

Há também muitas teorias de que nem sempre é evidente se podemos ou não fazer perguntas.

Não tem de haver constantemente um objectivo de venda na nossa conversa. Podemos contudo estar sempre a vender, sim você está sempre a vender algo.

Ouço constantemente dizer que, “não sei o que dizer, acho que esta conversa não me leva a lado nenhum”.


Acreditem esta não é a forma correcta de ver o resultado da conversa que se teve.


O objectivo deste tipo de conversa ou melhor de “venda” é de criar uma boa impressão, desenvolver contactos, iniciar relações pessoais e aprender algo sobre o interlocutor com que se está.

É nestas ocasiões que observamos se existe alguma oportunidade onde possamos acrescentar valor, ajudar no futuro.


Permitam-me dar-vos um exemplo simples sobre o que não se deve fazer:


Num café encontra um grupo de amigos que lhe apresentam uma pessoa.

Essa pessoa está a dizer aos demais que tem um carro que gasta muito.

Quando você chega, ele diz:

“Olá, como está?”

Ao que você responde:

“Tudo óptimo. Sabe eu tenho uma solução para si que vai-lhe permitir poupar 20%. Quer fazer negócio?”

Esta é a forma errada de vender, independentemente do que possa estar a vender. Contudo aqui há uma oportunidade para fazer negócio.

Podemos de forma enérgica, apaixonada e confiante falar com a pessoa de forma a que ela se recorde disso. Melhor ainda, podemos mostrar genuíno interesse nela.

Tudo o que temos de fazer é perguntas dirigidas a ela, mostrando deste modo qualidade na nossa abordagem, que é o de colocar foco na pessoa.













Fazer perguntas é a melhor forma de abrir uma conversa. Nesse diálogo nós aprendemos coisas sobre a pessoa e sobre o que fazer.

Estamos-nos a educar acerca da pessoa, suas necessidades, seus desejos, seus medos. Este conhecimento aumenta se fizermos boas perguntas e escutarmos verdadeiramente as respostas. Nessa altura o nível de confiança que essa pessoa tem em nós é tal que ele irá colocar-nos perguntas.

Nesse momento então podemos, de forma natural, falar sobre o que fazemos, o que vendemos, qual a nossa proposta de valor.


Voltemos então à situação que estávamos a relatar há pouco, porque a verdade é que situações destas acontecem-nos com mais frequência do que imaginamos:

A pessoa em determinado momento diz:

“Obrigado por me ter ouvido, por me ter dado atenção. O que é que você faz afinal de contas?

Ao que você responde:

Eu represento uma marca de automóveis. A marca que represento desenvolveu uma tecnologia que me garante economias na ordem dos 20%.

A pessoa reage dizendo:

“Sabe, como lhe disse o meu carro tem um gasto muito exagerado, e isso dá cabo do meu orçamento.”

Ao que você responde:

“Tome o meu cartão, terei todo o gosto em falar consigo e ver como o posso ajudar nisso.”

A pessoa responde:

“Sim, vamos fazer isso”.


Fantástico! Criou um elo, iniciou uma conversa. Deixou uma boa impressão, escutou e identificou uma oportunidade de venda.


Desenvolva boas relações pessoais.


Que passos vai dar para desenvolver esta importante competência? Call me!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 by Ambiente Positivo.